Como conduzir negociações eficientes?

Negociar é uma troca de concessões para que se chegue a um meio termo que agrade ambas as partes envolvidas.


A negociação é um método adequado de solução de conflitos que não se utiliza, necessariamente, de um terceiro imparcial para que aconteça. A negociação pode ser conduzida diretamente pelas partes envolvidas, individualmente ou com assessoria de profissionais capacitados e especializados neste processo. Este método difere da mediação e da conciliação, porque, estas demandam a presença de um terceiro imparcial para intermediar a solução do conflito estabelecido entre as partes.


Dentre os maiores desafios enfrentados no mundo dos negócios, está o próprio ato de negociar. Saber negociar é uma habilidade fundamental para o sucesso em absolutamente todos os aspectos, tanto no cotidiano pessoal, quanto, e principalmente, no profissional.


A negociação está presente no dia a dia tão frequentemente que, muitas vezes, é feita de maneira instintiva, sem percepção sobre técnicas, por exemplo. E, nem por isso, são menos efetivas! Mas, é inegável que o conhecimento das técnicas e seu uso estratégico aumentam, consideravelmente, a chance de sucesso em uma negociação.


Negociar demanda sensibilidade, paciência e estratégia. É preciso ir além das posições para conhecer, de fato, os interesses de cada uma das partes envolvidas. Pois, somente quando se ultrapassa a barreira posicional é possível negociar estrategicamente e sempre visando o beneficio mútuo, caso contrário, a negociação será ineficiente, criando incentivos que atrasam um entendimento.



Conceitos Fundamentais para Qualquer Negociador


Antes de sentar em uma mesa de negociação, é preciso preparação. E como se deve se preparar para uma negociação?


O primeiro passo, essencial, para uma boa preparação é conhecer os três conceitos fundamentais para qualquer negociador de sucesso, que são: ZOPA, BATNA ou MAANA e Ponto de Recuo.



ZOPA (Zone Of Possible Agreement): Zona de Possível Acordo

A Zona de Possível Acordo consiste em um espaço em que as concessões que as partes estão dispostas a fazer durante uma negociação convergem para um denominador comum.


Em outras palavras, consiste em identificar o mínimo e o máximo que cada um está disposto a aceitar e descobrir, através das perguntas certas. É preciso descobrir quais são os limites da outra parte.


Uma vez esclarecidos os limites de cada um, é possível identificar se, em algum ponto, os interesses das partes se comunicam, isto é, se coincidem. E esta coincidência, esta área em que coincidem os objetivos e interesses das partes, é o que se chama de Zona de Possível Acordo.



BATNA (Best Alternative To a Negociated Agreement) ou MAANA: Melhor Alternativa a um Acordo Negociado


A Melhor Alternativa a um Acordo Negociado é a sigla para a melhor alternativa à negociação de um acordo e foi apresentada pela primeira vez por William Ury e Roger Fisher. No conceito dos autores, o MAANA consiste em uma medida para alcançar o valor da negociação, ou seja, negociar é vantajoso enquanto não houver alternativa melhor.


Para aplicar esse conceito em uma negociação é essencial definir, antecipadamente, quais são os objetivos que se espera atingir com a negociação, e avaliar de qual outra forma é possível alcançar aqueles objetivos caso falhe a negociação.


PONTO DE RECUO


O Ponto de Recuo consiste naquele limite anteriormente determinado e que não deve ser ultrapassado; e, na eventualidade de a outra parte se mantiver irredutível no avanço da negociação em busca do denominador comum, este é o momento de recuar.



Como se preparar de forma eficiente para uma negociação


Uma vez dominados os três principais conceitos da negociação, é hora de compreender a arte da preparação, pois, este momento anterior à negociação é essencial para o sucesso.


O primeiro passo é definir, com clareza, quais são os objetivos da negociação; pautando-se no fato de que chegar a um acordo que seja vantajoso para ambas as partes envolvidas no processo é essencial. Para isso, é preciso considerar não apenas o cenário ideal para você em relação aos seus objetivos a serem alcançados, mas também nos limites que você está disposto a ceder no momento da negociação.


Somente será viável estabelecer os objetivos e os limites quando conhecer a fundo o objeto da negociação. Portanto, é também parte imprescindível da preparação, aprofundar a investigação quanto ao objeto da negociação.


O passo seguinte consiste em compreender também o perfil e as necessidades da outra parte. Como já dito, considerando que o principal objetivo de uma negociação é alcançar um acordo vantajoso para ambas as partes, então, considerar o melhor cenário para a outra parte, também faz parte da sua preparação.


Como negociar estratégica e eficientemente


O sucesso de uma negociação está diretamente ligado a uma boa preparação, a aplicação correta e estratégica dos conceitos e a fazer as perguntas corretas para descobrir, taticamente, o MAANA e o Ponto de Recuo da parte contrária.


Em outras palavras, para além da própria preparação, é essencial saber formular as perguntas certas para "esvaziar" o MAANA, o famoso "plano B" da outra parte. Mostrando a ela que a melhor solução, a possibilidade mais vantajosa para atingir o objetivo dela é negociar com você.


E, na outra ponta, é imperioso que seja extremamente cuidadoso ao revelar o seu MAANA. Via de regra, para o sucesso de uma negociação, é preciso estar disposto a fazer concessões - que não prejudiquem os seus objetivos - sem declarar o seu plano B. Dessa forma, a parte contrária não poderá "esvaziá-lo", ou mesmo se antecipar a qualquer uma das suas medidas.



Perguntas estratégicas e eficientes


Como já dito, formular perguntas estratégicas é o que garantirá ao negociador acesso à informações relevantes e que permitirá a personalização da negociação, de acordo com as expectativas, também, da outra parte.


Em Como Chegar ao Sim, William Ury e Roger Fisher, compartilham uma sequência de dez perguntas que as pessoas fazem sobre como chegar ao sim. Neste rol, há perguntas sobre justiça e negociação baseada em princípios, sobre relacionamento com pessoas, táticas e poder.


As respostas que obtemos a partir do auto questionamento nos guiarão na formulação de perguntas estratégicas e personalizadas direcionadas à parte com a qual se negocia.



Conclusão: negociações eficientes


A fórmula para o sucesso de uma negociação, não está pronta. Nada garantirá o sucesso da negociação, se não o comprometimento de ambas as partes na troca de concessões até que se alcance um meio termo que beneficie a todos.


E para isso, como vimos, é essencial conhecer e dominar conceitos, conhecer a fundo o objeto da negociação, estabelecer os próprios limites de concessões e investigar quanto for possível os limites e concessões que a outra parte está disposta a fazer.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo